atendimento@kalf.com.br

+55 (011) 4223-6355

O mercado de bicicletas com a pandemia do coronavírus

​​​A pandemia do novo coronavírus nos obrigou ao distanciamento social e a repensar nossas vidas. Fomos obrigados a fechar nossos estabelecimentos e agora temos dúvidas em relação à reabertura. Nesse texto, que tem foco no mercado de bicicletas, você encontrará dicas e respostas aos principais questionamentos em relação ao cenário atual.

Segunda, 27 de abril de 2020


A pandemia do novo coronavírus (COVID-19) chegou para desafiar diversas relações e rotinas cotidianas que tínhamos até então e nos obrigou ao distanciamento social e a repensar nossas vidas.

Com a necessidade do distanciamento, muitas empresas fecharam suas portas, seguindo as orientações governamentais e da OMS.

Muitos lugares ainda estão sem uma data definitiva para um retorno tranquilo, mas de forma geral, o que todo o mercado de bicicletas se pergunta é: Como será a reabertura do comércio? Por quanto tempo ficaremos fechados? Posso trabalhar agora?

Reunimos abaixo algumas dicas e respostas aos principais questionamentos em relação ao mercado de bicicletas.

1) Posso trabalhar agora?

Provavelmente sua resposta está aqui: http://aliancabike.org.br/restricoes-por-conta-da-pandemia-por-estado/

Esse link da Aliança Bike mostra a situação por estado (com menções a algumas cidades) sobre a possibilidade de abertura das fábricas, montadoras, distribuidoras, oficinas e bicicletarias em cada região. As informações são atualizadas a cada dois dias.

Muitos estados e cidades enquadraram os serviços de manutenção de bikes como essenciais, pois possuem a mesma natureza dos serviços de manutenção de carros.

2) Devo trabalhar agora?

Se você tiver condições financeiras para manter-se de portas fechadas enquanto ainda existe grande risco de contágio, o indicado é realmente não abrir.

Mas se você depende do seu negócio para sustento da sua família e precisa manter os empregos dos seus funcionários, precisa pensar numa forma de trabalhar e minimizar as possibilidades de contágio.

Outra questão muito importante a ser observada é que, com a redução dos transportes públicos e com o risco alto de contaminação dentro desse tipo de transporte, muitos trabalhadores essenciais estão utilizando a bicicleta como meio de locomoção. Além disso, aumentou muito o número de entregadores utilizando bicicleta. Se a sua loja atende ciclistas enquadrados nesse cenário e a sua bicicletaria for o meio deles de manter a manutenção das bicicletas, o seu serviço será considerado essencial para a comunidade e, portanto, deverá estar em funcionamento.

Existe ainda ciclistas que estão comprando bicicletas, rolos de treinamento, etc. para treino em casa como forma de exercitarem-se e manter a saúde em dia, e, portanto, existe essa demanda a ser atendida também.

3) Higiene e distanciamento social

Se você optar por abrir sua empresa, é necessário seguir as orientações dos órgãos de saúde e algumas dicas de boas práticas, para minimizar o risco de infecção para funcionários e clientes. Seguem alguns exemplos:

- Garanta e promova procedimentos rígidos de limpeza e lavagem das mãos constantes, bem como o uso de máscaras aos funcionários, conforme orientações dos órgãos de saúde;
- Ofereça álcool gel para os clientes;
- Somente os funcionários essenciais deverão trabalhar e, de preferência, com hora marcada, para que fiquem o menor tempo possível expostos;
- Controle o acesso dos clientes ao interior do estabelecimento com um sistema de agendamento de horário ou com o fechamento das portas, para limitar o número de clientes, evitar aglomerações e manter o distanciamento social, em um ambiente gerenciado;
- Sapatos, capacetes e roupas são mais difíceis de higienizar após o contato, então talvez seja o caso de restringir o acesso a esses itens e/ou condicionar a uma venda sem possibilidade de troca;
- Informe os clientes antes ou após a entrada de suas precauções e solicite que minimizem os contatos, usem máscaras e mantenham o distanciamento social;
- Use também as Redes Sociais e site para informar seus clientes sobre protocolos de limpeza, horário de funcionamento e procedimentos operacionais;
- Na hora do pagamento, o ideal é buscar formas com o menor contato possível, tipo transferências bancárias ou boletos. Cartões precisam da maquininha para operar, então se lembre de mantê-las sempre higienizadas. E sempre que possível, evite dinheiro. Está comprovado que o vírus pode permanecer em diversas superfícies por bastante tempo e isso inclui o papel e o metal do dinheiro, portanto, podem ser considerados potenciais transmissores do vírus;

4) Mudanças no atendimento ao público

Para garantir o atendimento seguro, além da higiene é preciso pensar no contato interpessoal. Você pode manter a empresa totalmente aberta ou semiaberta (seguindo, é claro, os decretos regionais - verifique o da sua cidade/estado), mas existem formas de atendimento que visam minimizar o contágio, sem deixar de atender aos clientes. Considere algumas dessas opções:

- Atendimento apenas com hora marcada;
- Atendimento com coleta e entrega em domicílio;
- Atendimento tipo "drive through" onde os clientes solicitam mercadorias por telefone e os funcionários trazem as mercadorias até o carro ou bicicleta;
- Receba e entregue bicicletas para manutenção e reparo fora da loja;
- Atendimento apenas por entrega por correspondência, tipo correio ou o famoso "delivery";
- Vendas exclusivamente via site, redes sociais ou Whatsapp.

5) Preciso ter um site para vender?

A quarentena trouxe mudanças às formas de compras e consumo das pessoas e as compras online aumentaram muito. Isso indica uma tendência que provavelmente não irá voltar atras, então é bom considerar ter um site.

Já tem um site? Ótimo! Esse é o momento de aprimorar e divulgar o seu site. Melhore o cadastro de produtos colocando mais informações, mais fotos (possivelmente vídeos) e tendo a certeza de que não esqueceu nenhum item da loja fora do site.

Capriche também na divulgação, usando ferramentas como o Whatsapp, as redes sociais, o cadastro de clientes (sim! ligue para eles) e até mesmo faixas e cartazes na frente da sua loja, informando sobre a possibilidade de compras online.

Muitas cidades criaram sistemas de divulgação dos estabelecimentos como forma de fortalecer o comércio local. Se esse for o caso da sua cidade, mande uma mensagem e seja incluído nas listas de divulgação.

Não tem um site? Não tem problema! Você pode optar por fazer um site rápido, fazer atendimento via Mercado Livre ou Marketplace (colocar seus produtos para vender nas grandes lojas "pontocom", tipo Americanas.com) ou ainda vender através das Redes Sociais, que oferecem muitos recursos gratuitos e de fácil acesso.

Muitas lojas estão colocando as fotos dos seus produtos no Instagram ou Facebook, por exemplo, e disponibilizando um telefone de Whatsapp para negociação. Aproveite as Redes Sociais para informar seus clientes sobre os protocolos de limpeza adotados, horário de funcionamento e procedimentos operacionais da sua loja.

6) Aproveite o tempo livre para se especializar

Se o movimento da sua loja diminuiu ou você está trabalhando meio período ou com hora marcada, aproveite o tempo livre para se especializar em vendas, marketing, atendimento ao público ou em mecânica.

Empresas como o SEBRAE estão oferecendo diversos cursos online para melhoria dos negócios. O Movimento Compre do Bairro, assinado por grandes líderes empresariais em prol do pequeno comércio, oferece cursos, dicas, serviços digitais e uma plataforma completa de ajuda aos pequenos empreendedores.

Além disso, você também pode assistir as aulas do Bruno Uehara, que está oferecendo um curso online gratuito (por tempo limitado) chamado "Mecânica Básica de Bicicletas".

7) O que esperar do pós-pandemia?

Países que já passaram pelo pico da pandemia relataram aumento nas vendas de bicicletas, o que é justificado, pois muitas pessoas estão usando bikes como alternativa ao transporte coletivo para ir ao trabalho, garantindo a distância física dos outros ciclistas e pedestres, ajudando a economia ao evitar o absentismo, utilizando bicicletas também como forma de esporte ou lazer, etc.

A crise fez muitos paises enxergarem suas ruas vazias, a redução da poluição e a necessidade de exercitarmos como possibilidades de mudanças nos nossos meios de locomoção, habitos, etc. E a bicicleta irá trilhar um caminho de sucesso, essa é a aposta.

Esperamos que com as nossas dicas e informações você se sinta mais confiante para retomar suas atividades e que faça isso da forma mais segura e profissional possível.

Juntos, enfrentaremos a pandemia e a crise.

Se precisar de atendimento, estamos a disposição. =)


voltar


Comentários

Busca no Blog